Visite nosso canal no YouTube:

Visite nosso perfil no Facebook:


Siga-nos no Twitter:


 

Slade, de Skinheads a reis do Glitter 
(Parte 1)
     

”Well alright ev'rybody, let your head down
I wanna see ev'rybody get up off their seat,
Clap your hands stamp your feet, get down and get with it”...

 

        A partir de março de 1972 este refrão estava na boca de todos os garotos do planeta Terra, imortalizado em um dos mais famosos discos ao vivo de todos os tempos. ‘Slade Alive’ com sua inesquecível capa vermelha e preta, ficou em nas paradas de sucesso por 58 semanas seguidas, atingindo o segundo lugar. Gravado em um estúdio em forma de teatro, com seus 200 lugares lotados com membros do fã clube, este disco foi a grande jogada de Chas Chandler, ex-baixista dos Animals que após a morte de Jimi Hendrix, estava produzindo este novo grupo.

        Com este disco, os ex-skinheads (outra jogada de Chandler para tentar promover sua nova cria), passaram a categoria de ícones do Glitter Rock, dominando as paradas de compactos, batendo inclusive o recorde dos Beatles. De maio de 1971 até novembro de 1975, o Slade teve 6 primeiros lugares, sendo que 3 vieram do nada direto para o topo. Nem os quatro cabeludos fizeram a façanha, que continua imbatível até hoje. Tiveram mais 3  segundos lugares, 3 terceiros, 1 quarto, um quinto...

        De 1972 a 1975, a cartola com espelhos e o fraque vermelho de Noddy Holder, sua voz de "gralha", a guitarra "superyob" de Dave Hill, o surpreendente baixo de Jim Lea e a batida marcante de Don Powell foram o som das festas com cheiro de "patchoulli". As botas "cavalo de aço", as calças boca larga e as camiseta justas eram a vestimenta ideal para "sair das cadeiras, bater palmas e pisar forte"

        CLIQUE NOS DISCOS PARA VER OS CLIPES E
                  DEPOIS VOLTE PARA A PÁGINA

        Sua história já é bastante conhecida: um grupo de garotos pobres forma um grupo, desta vez na pequena cidade britânica de Wolverhampton. Em 1964, incendiado pela febre da beatlemania, o jovem Donald George Powell (Don Powell), baterista, junta-se ao cantor Johnny Howells e ao guitarrista Mickey Marson. Logo o trio aumentaria, com a entrada do baixista Cass Jones. O grupo foi batizado como "The Vendors". O repertório era basicamente Buddy Holly, Eddie Cochran e Gene Vincent e as apresentações ficavam restritas a clubes, festas e casamentos. A entrada de mais um guitarrista, o solista Dave Hill, egresso do grupo 'The Big Roll Seven", deu mais força ao grupo. Detalhe importe sobre Dave Hill: ele é canhoto! Escreve com a mãe esquerda! Mas toca guitarra com a direita. Logo seu repertório mudou para obscuras versões de Lightnin' Hopkins, Sonny Boy Williamson e Muddy Waters. Apresentam-se regularmente e chegam a gravar um EP, no estúdio de um amigo, cuja única cópia existente está nas mãos do baterista Don Powell.

                  

                                        The Vendors

        No final de 1964, ocorre a mudança de nome da banda: passam a se chamar "The N'Betweens", excursionando regularmente pelos clubes da região. Nestas "turnês" conhecem o grupo "Steve Brett and the Mavericks", cujo guitarrista solo e cantor-de-apoio-de-voz-esganiçada era Noddy Holder (na foto com a banda, Noddy é o primeiro da direita).

                    

                                Steve Brett & The Mavericks

        Um namoro entre o grupo e Noddy ficou em banho-maria, já que ele estava ficando chateado com a posição secundária na banda . Tanto que ele, no final de 1965, colocou um anúncio em busca de novos trabalhos.

                

 

        Em Junho de 1965, o "The N'Betweens" grava mais um EP, desta vez para a Barclay Records, nos estúdios da Pye. O disco só foi lançado na França, em Dezembro. Neste disco eles gravaram, entre outras, a música "Little Nightingale", do guitarrista Jimmy Page, que trabalhava nos estúdios da Pye, em Marble Arch.

       Em 1966, mudanças começam a ocorrer no grupo, saindo o baixista e o guitarra-base, dando lugar ao desconhecido Jim Lea (só havia tocado em uma banda, Nick and the Axemen, em 1963, e que agora tocava violino na South Staffordshire Youth Orchestra), que além de possuir técnica poderosa de baixo, tocava violino e tinha conhecimento musical valioso (ver núncios abaixo).

                                

           

       Isso abriu uma brecha para o guitarrista "berrador" Noddy Holder, cansado do papel secundário nos "Mavericks". Logo Noddy ofuscou o cantor original Johnny Howells, que acabou saindo em junho (The N'Betweens # 2).   

                   

                The N'Betweens # 2 (Noddy, Jim, Dave e Don)

       Em Novembro de 1966 o novo grupo lança um compacto pela Columbia, You Better Run, já com a formação definitiva. Seus shows reuniam sucessos dos Four Tops, Goffin/King, Traffic, Procol Harum e muita música da Tamla. Tudo re-arranjado pelo jovem Jim Lea, que apesar de desconhecido tinha um apuradíssimo ouvido musical. Todas as músicas caíam como uma luva na garganta de Noddy Holder. E com muitos shows e frustações, passam os anos de 1967 e 1968.

                            

       Neste ano de 1968, Dave Hill ganhou de seu pai a guitarra que vai acompanhá-lo por todos os anos de sua carreira com o Slade: uma guitarra com corpo semelhante ao da Gibson SG, construída pelo "luthier" Sam Lee, de Londres. Com corpo todo em bordo (maple), de cor ocre, braço de uma Gibson 335, escala em jacarandá (rosewood), com dois captadores, um single coil (de Fender Jaguar) no braço e um humbucker na ponte, ponte Gibson "Tun-O-Matic" e um grande escudo que cobria mais da metade do corpo. Outro escudo menor tinhas os dois botões de volumes e os dois de tom e a chave seletora de captadores. A primeira aparição de TV com esta guitarra foi no clipe de Martha My Dear (clique na capa do LP Begginings para assistir ao clipe).

       Chegou 1969! O grupo, rebatizado para "Ambrose Slade". Seria um sinal de psicodelia+flower power+flamboyant? Não, apenas dois nomes inventados pela secretária do diretor de A&R da Philips, Jack Baverstock, que ouviu três demos que o grupo gravou e logo assina um contrato com a gravadora Fontana para lançar seu LP Beginnings. Lançado em Abril, era um disco onde as covers iam de Beatles a Steppenwolf, passando por Ted Nugent & The Amboy Dukes, Frank Zappa & The Mothers of Invention, Moddy Blues e Marvin Gaye, além de alguns temas originais, que Baverstock insistia que o grupo investisse mais. Um clipe para a música instrumental Genesis foi filmado, já que a mesma foi escolhida para um compacto.

       Em Junho de 1969 o Ambrose Slade fez sua estréia na "BBC Radio", no programa "Dave Symonds on Sunday Show", apresentando Everybody's Next One, C'mon C'mon, Good Old Desk e The Raven (esta última não foi ao ar) .

       Mas a grande cartada veio com a entrada de Chas Chanler (ex-baixista do The Animals e ex-empresário de Jimi Hendrix), como empresário e produtor do grupo. Primeira novidade: cabeças raspadas e coturnos nos pés. Os skinheads eram um mercado em evidência e o grupo tinha potencial ao vivo para animar esta massa ávida por decibéis e energia. Dave Hill e Jim Lea odiaram a mudança, por serem os mais "vaidosos" do grupo. Para Noddy a nova imagem apenas "facilitou sua agressividade". Com este visial o grupo se apresentou na TV, tocando ao vivo Martha My Dear, do LP Begginings, e o novo compacto do grupo, Wild Winds Are Blowing, lançado em Outubro.

                       

       Ainda pelo selo Fontana, em Março de 1970, o grupo, agora chamado simplesmente de Slade, lança mais um compacto, com Shape Of Things To Come, que também não "acontece" nas paradas.

       Em Abril o Slade toca mais uma vez na "BBC Radio", no programa "Mike Harding Show", tocando The Shape of Things To Come, Omaha, Sweet Box e I Remember.

       Chas Chandler muda o grupo de gravadora, passando para a Polydor, com distribuição muito melhor do que a Fontana. O primeiro fruto foi um compacto, lançado em Setembro, com a música Know Who You Are, que era a antiga instrumental Genesis, agora com letra. Nada.

       Em Novembro grupo grava seu segundo LP, Play It Loud, com material variado, sem o peso esperado para aquela química que tinham ao vivo. Algumas músicas eram inspiradas em Ten Years After, Black Sabath, mas o material novo que o grupo compunha estava melhorando, em relação ao primeiro disco. Mas este disco só fez sucesso alguns anos mais tarde. Tinha boas canções originais, como One Way Hotel (aqui numa versão diferente da usado no lado B do compacto), Pouk Hill, Sweet Box, além das versões para músicas do Bread (Could I) e do Max Frost and the Troopers (The Shape of Things To Come). O grupo aproveitou boas canções lançadas pela Fontana e incluiu no novo disco.

       No mês de Janeiro de 1971, o grupo fez sua terceira aparição na "BBC Radio", no programa "Mike Harding Show", tocando Man Who Speaks Evil, Dirty Joker, The Gospel According to Rasputin e Do You Want Me..

       Quando o Slade caminhava para dois anos com Chandler, veio a grande sacada: nova mudança de visual, trocando os coturnos por botas com salto de plataforma e roupas coloridas. E cabelos compridos novamente! Além disso, Chas escolheu uma nova música para fazerem sua própria versão, onde a participação da platéia era sugerida na gravação de estúdio. Era o "hino" do Slade: Get Down and Get With It, sucesso de Little Richard que, ao gritar para a massa "abaixem a cabeça, batam palmas e batam os pés", entregou de bandeja o que os fãs da banda mais desejavam. Barulho, energia e diversão. Lançado em Maio, o disco chegou ao 16o lugar das paradas, ficando 14 semanas entre as 20 melhores. Foi um grande estímulo para todos.

       Para divulgar o novo disco, o grupo mais uma vez foi para a "BBC Radio", desta vez no programa "Stuart Henry Show", ainda em Maio, onde apresentaram Get Down And Get With It, Man Who Speeks Evil, My Life Is Natural e In Like A Shot From My Gun.

       Chas queria que a banda escrevesse seu próximo compacto. Com isso, Jim e Noddy começaram a compor o que seria seu primeiro grande sucesso. E o fizeram em uma hora e meia! Mas o título era muito meloso: Because I Love You. Chas argumentou que isso não era título de uma música da banda. Era pomposo e arrogante. Ele sugeriu que escrevessem como cantavam, como falavam, errado mesmo. O Slade é uma banda "do interior", de garotos simples, por isso devem falar como seus fãs. Então, grafaram o título foneticamente. Chuva de protestos dos professores ingleses, pela possível "má influência" exercida sobre a juventude: alunos escrevendo palavras como seram pronunciadas. Neste compacto, Coz I Luv You, o baixista Jim Lea já mostra seu talento como arranjador, incluindo belas frases e solos com seu violino. Lançado em Outubro, o disco foi para o 1o lugar das paradas Inglesas! Ficou 4 semanas em primeiro e um total de 15 semanas nas paradas.

       Com isso, o Slade montou a reputação de melhor show ao vivo em termos de energia e retorno a platéia de todo Reino Unido. Eles nunca lucravam com os shows, pois tinham que pagar pelas cadeiras quebradas e outros estragos menores.

 

        Mas o rock dos anos 70 mudaria após o disco-tributo-aos-fãs, Slade Alive. Os cabelos começaram a crescer na banda, a purpurina passou a adornar o corpo de Dave Hill, as roupas ficaram brilhosas, as botas ganharam saltos e o ano de 1972 ainda não havia começado.

     

 

Discografia Slade (primeira parte)

The Vendors (Don Powell, Dave Hill e outros)

- EP Peace Pipe / Twilight Time / Don't Leave Me Now / Take Your Time (1964)

Steve Bratt and the Mavericks (Noddy Holder e outros)

- CS Wishing / Anything That's Part of You (Columbia DB 7470) - 1/65
- CS Sad, Lonely and Blue / Candy (Columbia DB 7581) - 5/65
- CS Chains On My Heart / Sugar Shack (Columbia DB 7794) - 12/65


The N'Betweens (Don Powell, Dave Hill e outros)

- EP Feel So Fine / Take A Heart / Little
Nightingale / You Don't Believe Me (Barclay 70907) - 12/1965


The N'Betweens (Don Powell, Dave Hill, Jim Lea e Noddy Holder)

- CS Security / Girls Child, I Am the Evil Witchman (Highland 1173) - 10/66 - promocional
- CS You Better Run / Evil Witchman (Columbia DB 8080) - 11/66


Ambrose Slade

- LP Beginnings (Fontana STL 5492) - 4/69
- CS Genesis / Roach Daddy (Fontana TF 1015) - 5/69


Slade

- CS Wild Winds Are Blowing / One Way Hotel (Fontana TF 1056) - 10/69
- CS Shape Of Things To Come / C'mon C'mon (Fontana TF 1079) - 3/70
- CS Know Who You Are / Dapple Rose (Polydor 2058 054) - 9/70
- LP Play It Loud (Polydor 2382 026) - 11/70
- CS Get Down And Get With It / Do You Want Me - The Gospel According To Rasputin (Polydor 2058 112) - 5/71
- CS Coz I Luv You / My Life Is Natural (Polydor 2058 155) - 10/71

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique para ouvir Take A Heart

 

 

Clique para ouvir You Better Run

 

Clique para ver o clipe de Martha My Dear

 

Clique para ouvir Genesis

 

Clique para ouvir Wild Winds Are Blowing

 

Clique para ouvir Shape Of Things To Come

 

Clique para ouvir Know Who You Are

 

 

 

Clique para ouvir Get Down And Get With It

 

Clique para ouvir Coz I Luv You

 

    

 
Copyright 2017
Todos os direitos reservados a Pugialli Produções Artísticas Ltda.
Site melhor visualizado em 1024 x 768